Menor desaparecida em Vila Pavão é vista pela última vez nas imediações do campo de futebol

A adolescente Katiane Renoke Zava, de 17 anos está desaparecida  desde a manhã da última segunda-feira, dia 24.

A jovem Katiane Renoke Zava, de 17 anos

A jovem Katiane Renoke Zava, de 17 anos

A adolescente pavoense, Katiane Renoke Zava, de 17 anos, que desapareceu na manhã da última segunda-feira, dia 24, ainda não foi encontrada.

A prima de 2º grau da menor, Marlete Renoke, disse que a jovem é filha única, tinha uma vida totalmente pacata e que inclusive, havia interrompido os estudos para ajudar os pais na propriedade, não tinha o hábito de sair de casa e que ela passava muito tempo utilizando as redes sociais, o que tem contribuído para que familiares acreditem na possibilidade dela ter marcado um encontro com alguém na segunda-feira.

Marlete Renoke, destacou durante a entrevista que a menor não tinha whatsapp e que foi flagrada pela última vez por uma câmera de um supermercado localizado nas proximidades do campo de futebol do município de Vila Pavão, exatamente às 10h49, aparentemente sozinha.

A polícia está em posse do celular de Katiane e de algumas imagens de uma câmera instalada em uma residência localizada acima do supermercado e deve anunciar no início desta semana, se encontrou algum vestígio que possa ajudar a elucidar a situação.

Katiane Renoke Zava, moradora do Córrego da Rapadura, zona rural de Vila Pavão, saiu de casa com o pai, por volta das 10h30, para encontrar uma pessoa no centro do município, que iria com ela comprar uma chapinha para cabelo.

A adolescente foi deixada pelo pai próximo à rodoviária. De lá, o pai seguiu para Nova Venécia para tratar de outros assuntos.

Segundo a família, a jovem havia combinado de encontrar o pai à tarde, no mesmo lugar onde foi deixada, porém, Katiane não apareceu no local combinado.

A adolescente também não encontrou a pessoa a qual iria se encontrar para comprar a chapinha e não retornou para casa.

De acordo com familiares, Katiane deixou seu celular em casa, porque estava sem crédito e ficou com o de seu pai. Por várias vezes, a família tentou entrar em contato com o telefone, mas o aparelho aparentemente estava desligado.

A família disse que Katiane é uma adolescente sossegada e que não tem o costume de sair de casa.

 

Informações: A Notícia.