Suspeito de atirar contra médica em Vitória presta depoimento

Enquanto acontecia o velório e sepultamento da vítima em Fundão, as operações para encontrar o responsável pelo crime continuavam

Médica Milena Gottardi Frassom (Foto: Arquivo Pessoal)

Médica Milena Gottardi Frassom (Foto: Arquivo Pessoal)

As investigações da morte da médica Milena Gottardi Tonini Frasson, 38 anos, ganharam novos capítulos na tarde deste sábado (16). Enquanto o corpo da vítima era velado e sepultado por familiares e amigos, em Fundão, as equipes da Delegacia de Homicídios e Proteção a Mulher se empenhavam nas buscas pelo suspeito de atirar contra a médica durante o assalto.

De acordo com informações extraoficiais apuradas pelas equipes de reportagem da Rede Vitória, no início da noite, viaturas do Grupo de Operações Táticas (GOT) da Polícia Civil chegaram na Delegacia de Homicídios e Protecao a Mulher com um suspeito detido e uma moto apreendida.

Por volta das 20 horas, o suspeito permanecia na delegacia prestando depoimento. A Secretaria de Segurança Pública do Espírito Santo (Sesp) ainda não deu informações oficiais sobre o avanço nas investigações neste sábado.

O crime

Milena Gottardi Tonini Frasson foi baleada na última quinta-feira (14) quando estava acompanhada de uma amiga em uma área utilizada como estacionamento do Hospital das Clínicas, em Vitória. De acordo com a testemunha, a vítima teria sido atingida por três disparos. O criminoso fugiu sem levar nenhum dos pertences das médicas.

Ainda segundo a testemunha, o crime aconteceu por volta de 16 horas quando Milena havia saído do plantão e seguia em direção ao carro dela. Segundo a testemunha, que acompanhava Milena, o local é tido como perigoso em virtude da ocorrência de outros crimes. Quando chegaram ao veículo, um homem armado anunciou o assalto. Ela disse que o assaltante pediu chave do carro e bolsa.

 

Ao suposto assaltante, Milena teria dito que a bolsa estava no porta-malas e a pediu para buscar. A testemunha informou que o criminoso estava bastante confuso e nervoso. Ela contou que fizeram tudo o que o criminoso queria, mas ainda assim ele atirou por três vezes. Os disparos atingiram o rosto da médica.

Milena morreu na tarde de sexta-feira (15), após ficar mais de 24 horas internada em estado de “extrema gravidade”, de acordo com boletim divulgado pela Unimed Vitória. Segundo o hospital onde a médica estava internada, a morte ocorreu por edema cerebral difuso (por conta da extensão do dano), às 16h50.

Investigações

De acordo com o secretário de Segurança Pública, André Garcia, a principal linha de investigação que está sendo utilizada pela polícia é de crime de mando. No entanto, segundo o secretário, nenhuma outra hipótese está descartada.

Na tarde de sexta-feira (17), a Polícia Civil divulgou o retrato falado do homem que atirou na médica. No entanto, segundo a polícia, ainda não é possível afirmar se o suspeito era conhecido da vítima.

Na manhã deste sábado, o ex-marido da vítima teve o celular apreendido pela polícia. O aparelho do ex-companheiro de Milena, que é advogado e policial civil, foi recolhido pelo titular da Delegacia Especializada em Homicídios Contra a Mulher (DHPM), delegado Janderson Lube, responsável pela investigação do caso.

O corpo de Milena foi enterrado por volta das 18 horas deste sábado no município de Fundão.

Informações: Folha Vitória.